Home / Sociedade / Ambiente & Ciência / CNRLI recebeu governantes e autarcas

CNRLI recebeu governantes e autarcas

O Centro Nacional de Reprodução do Lince-Ibérico, (CNRLI) no qual se encontram atualmente 8 novos juvenis, nascidos em 2019, à espera de conhecer o seu destino, recebeu a visita de uma comitiva de governantes e autarcas.
Foi no dia 27 de novembro, no final de uma cerimónia destinada a celebrar os 10 anos do CNRLI. A mesma teve início no Castelo de Silves e contou com a presença do secretário de Estado da Conservação da Natureza, Florestas e Ordenamento do Território, João Catarino. Presente também a presidente da Câmara Municipal de Silves, Rosa Palma, que fez uma intervenção sobre “O papel dos municípios na preservação das espécies”. Seguiu-se a intervenção de Joaquim Peres, presidente da Águas do Algarve; e de João Alves, do Departamento de Conservação da Natureza e Biodiversidade. O gestor do CNRLI falou dos 10 anos de trabalho deste centro, antes da intervenção de Nuno Banza, presidente do ICNF.

O lince-ibérico (Lynx pardinus), considerado a espécie de felino mais ameaçada do mundo, está originalmente confinado à Península Ibérica. Em Portugal atingiu no início do Século XXI uma fase de pré-extinção, sendo que os últimos vestígios de lince em território nacional foram detetados em 2001, em zona de fronteira. Antes disso, o último vestígio de lince comprovado em Portugal foi registado no início da década de 90 do Século XX. É provável que Portugal tenha perdido as suas populações estáveis durante a década de 80.

Contrariando esta situação, foi criado o CNRLI de Silves, e o longo de 10 anos, nasceram 122 animais, dos quais 89 sobreviveram (73%), e 69 foram já reintroduzidos (78% dos sobreviventes). De momento, 8 novos juvenis, nascidos em 2019, aguardam o seu destino, sendo provável que duas crias fiquem em cativeiro devido à sua valia genética como futuros reprodutores do Programa de Conservação Ex Situ, e os outros 6 libertados em meio natural nos próximos meses.
O programa de reprodução em cativeiro tem como objetivo obter um número suficiente de animais sãos para ajudar a restabelecer a espécie na natureza, com a finalidade de recuperar uma espécie em perigo de extinção. Simultaneamente, destinam-se a manter uma reserva de animais como salvaguarda contra uma possível extinção na natureza, até que estejam criadas condições para a recuperação do tamanho e viabilidade das populações silvestres.

Portugal, que participa a nível técnico no Programa Ex Situ desde o seu início, recebeu os primeiros linces a 26 de Outubro de 2009 no Centro Nacional de Reprodução de Lince Ibérico (CNRLI). Foi o primeiro centro de reprodução a construir-se fora da Comunidade Autónoma da Andaluzia. O CNRLI é o único centro de reprodução para a espécie fora de Espanha.

O lince é hoje uma espécie emblema e também uma espécie chave dos ecossistemas. A sua conservação beneficia muitas outras espécies selvagens e potencia atividades humanas que conciliam o uso e a preservação de habitats naturais. A reintrodução é um programa de longo prazo que requer um reforço regular de animais e o apoio da sociedade.

Partilhe nas redes socias:
Share on Facebook
Facebook
0Pin on Pinterest
Pinterest
0Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin

Veja Também

Instituto Piaget organiza debate sobre ensino à distância e educação inclusiva

O Instituto Piaget, que tem um campus em Silves, promove hoje, 28 de maio, um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *