Home / Sociedade / História & Património / Messines honrou a N. Sr.ª da Saúde com a imagem recuperada

Messines honrou a N. Sr.ª da Saúde com a imagem recuperada

As festividades em honra de Nossa Senhora da Saúde, há vários anos a principal cerimónia religiosa de São Bartolomeu de Messines, ficaram este ano marcadas pela particularidade da imagem religiosa ter sido apresentada, pela primeira vez, após a intervenção de que foi alvo, com o objetivo de recuperar parte da magnitude artística da obra.

A imagem de Nossa Senhora da Saúde é uma extraordinária escultura de vulto perfeito, de madeira policromada, de tamanho próximo do natural, da segunda metade do século XVIII ou mesmo anterior. Terá sido, provavelmente, encomendada em Lisboa, ao famoso escultor Joaquim Machado de Castro.
Recorde-se que esta fora desvirtuada por uma repintura concretizada em 2013-2014, mas foi intervencionada, entre janeiro e setembro deste ano, por uma equipa de profissionais de conservadores/restauradores, devidamente credenciados na área, com coordenação técnica de Conceição Ribeiro, no Centro de Conservação e Restauro em Palmela. Aí foi realizado um aturado projeto/estudo e exame à escultura, culminando a intervenção no des-restauro das duas últimas repolicromias e na integração cromática das áreas danificadas. Durante o trabalho constatou-se que a imagem terá sido irreversivelmente adulterada num restauro ainda anterior, que removeu grande parte do estofado dos panejamentos da policromia original.

Ainda assim, o resultado alcançado foi considerado bastante satisfatório para as zonas das carnações das figuras, que agora se apresentam com as superfícies policromas da época da execução da escultura.
A operação, segundo o padre Eduardo Colocho, teve um custo total de 13 663,45 €, dos quais 9 840,00 € dizem respeito ao restauro propriamente dito e 3 823,45 € ao seguro e transporte, a cargo de uma empresa especializada.

A intervenção resultou de uma proposta advinda da sociedade civil e contou com a coordenação de Aurélio Nuno Cabrita, e colaboração de Maria Cavaco Silva, dos padres Carlos Aquino, Atalívio Rito e Eduardo Colocho, bem como do apoio financeiro de António Neto Guerreiro (+), Município de Silves, Junta de Freguesia de S. B. Messines, Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Santuário de Fátima, Farmácia Algarve e vários cidadãos messinenses, nomeadamente Vítor Neto, Vitorino Cavaco, António Neves Cabrita e Margarida Vargas Mogo. Todavia, segundo o responsável pela Paróquia, faltam ainda cerca de 1 000 € para o pagamento total do transporte.

 

Na tarde de 21 de setembro, após a missa solene, teve lugar uma procissão, sendo Nossa Senhora escoltada pelos Bombeiros Voluntários de S. B. de Messines e transportada por um carro da mesma corporação, em andor ornamentado, numa oferta de Teresa Remechido Sousa Uva Paul. Acompanhou a procissão a Banda Filarmónica de Silves.Os festejos encerraram com a realização de um arraial, com animação musical, que decorreu no salão dos Bombeiros Voluntários e que contou com diversos apoios institucionais e de empresas locais, aos quais o padre Eduardo Colocho agradeceu em nome da comunidade.

Veja Também

Cristóvão Norte considera que médicos tarefeiros deviam ser a exceção

Após ter sido tornado público que o Centro Hospitalar Universitário do Algarve foi a instituição …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *