Mãos que partilham, em São Bartolomeu de Messines

Um grupo de residentes estrangeiros criou, recentemente, em São Bartolomeu de Messines, uma associação de solidariedade, com o objetivo de ajudar entidades e pessoas carenciadas.
“Mãos que partilham” (Hand in Hand, Charity Van Warehouse), começou por ser um grupo informal de amigos mas constituiu-se entretanto em associação, para dar “transparência ao processo, para que todos possam ver as contas e ver como trabalhamos”, explicam ao Terra Ruiva, Wanda e Rick, os mentores deste projeto.

O grupo de voluntários, incluindo Rick (1º à esquerda) e Wanda (4ª)

Esta associação está instalada nos antigos “armazéns do Ramiro” (junto à escola primária), por cedência dos proprietários. Aqui, em dois espaços diferentes, é possível encontrar todo o tipo de mobiliário, equipamentos, livros, jogos, roupas, loiças, sofás, enfim, uma panóplia de objetos oferecidos por empresas, entidades e particulares. Os mesmos encontram-se à venda por preços meramente simbólicos, à exceção de alguns de melhor qualidade ou até novos, que se vendem por preços um pouco mais altos, mas ainda assim muito acessíveis.
Á porta do armazém, um cartaz explica o destino das verbas angariadas com estas vendas que vai desde a ajuda a diversas corporações de bombeiros, como os Bombeiros de Messines, entidades como a Casa da Paz (Paderne), Castelo de Sonhos (Silves), Casa do Povo de Messines, Amigos das Crianças (Albufeira), A Gaivota (Albufeira), a diversas famílias carenciadas que são referenciadas por instituições de solidariedade social.

Um dos armazéns

A ajuda às famílias é feita através da entrega de bens, como roupa, comida e mobiliário, “mas não de dinheiro”, sublinham. Quanto aos bens oferecidos, também existe um padrão de exigência “não vamos dar um sofá velho, que nós não aceitaríamos na nossa casa, se vamos oferecer um sofá que seja um sofá decente, mesmo que não seja novo”.
Nas “Mãos que Partilham” cria-se uma corrente de solidariedade, na qual “há um lugar para cada coisa e uma coisa para cada pessoa”, diz Rick.
Quem nos confirma esta ideia é Edilene, uma cidadã brasileira que encontramos no armazém, com o seu marido. Elogia a quantidade e a qualidade da “roupa de cama” que existe e conta-nos que vem aqui praticamente todas as semanas, ver o que há de novo e se encontra alguma coisa que precise. “Isto tem sido uma boa ajuda para a nossa casa”, confirma o seu marido.

Edilene e seu marido

Várias outras pessoas deambulam pelo armazém, experimentando roupa ou mexendo nos objetos. De entre uma grande caixa com cd’s encontramos uma “relíquia”, não só pela sua antiguidade mas também pela sua raridade. Um disco do grupo Supernova, banda de São Bartolomeu de Messines, dos anos 80 do século XX, que alcançou êxito nacional. “Para cada pessoa, uma coisa”, como dizia Rick há pouco, e uma teoria que se comprova, já que esse e outros cd’s vêm na mala. Por dois euros.
Para manter esta associação a funcionar, há que garantir que existem pessoas a oferecer o que não precisam. Qualquer pessoa o pode fazer, entregando as suas coisas no armazém, que está aberto aos sábados e domingos, das 11h às 14h. Quem precisar pode solicitar ajuda à associação para a recolha dos bens. Nalguns casos, poderá haver a possibilidade da associação pagar algum valor, nomeadamente por mobília em bom estado.
Além da oferta de bens, esta associação necessita ainda de outro tipo de ajuda: de voluntários que falem português e que possam dispor de duas ou três horas semanais para estarem presentes no armazém. Isto porque os membros da associação apenas falam inglês e a língua é, por vezes, uma barreira ao entendimento com pessoas que procuram esta ajuda.
“Mãos que partilham” pode ser contactada nos referidos “armazéns do Ramiro”, onde uma placa assinala o local, ou através do contacto: 910828815.

Veja Também

Horóscopo Semanal, por Maria Helena Martins

2ª semana abril Carneiro Horóscopo Diário Ligue já! 761 101 801 Carta Dominante: O Dependurado, …

Um Comentário

  1. Um bem hajam a todas as mãos que partilham.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *