Sementeira aérea e estabilização de solos em Silves

A Herdade da Parra, em Silves, foi o local escolhido pelo Governo para iniciar os trabalhos de combate à erosão e estabilização de solos na serra, após o incêndio do ano passado.
A primeira intervenção, que tem sido muito comentada publicamente pela população vizinha, consistiu na sementeira de 150 hectares. O menos habitual foi a sementeira ter sido realizada por via aérea, com o recurso a um avião Dromader.
No local esteve presente o secretário de Estado das Florestas, Miguel Freitas, acompanhado pela presidente da Câmara Municipal de Silves, Rosa Palma.
Segundo o secretário de Estado informou, este trabalho tem como objetivo a proteção e o enriquecimento do solo, sendo um método usado para semear plantas que irão melhorar a estrutura do solo, o que irá depois permitir que se semeiem outras espécies, como o medronheiro ou sobreiros e ciprestes, o que será feito no outono.
Como foi anunciado, os trabalhos na Herdade da Parra irão prolongar-se na primeira quinzena de março, em mais 150 hectares, estando prevista uma verba de 300 mil euros para os trabalhos de estabilização de emergência, sendo 200 mil euros para cortes e estilhaçamento e 100 mil para as sementeiras.
O Governo destinou 1,4 milhões de euros para a estabilização de emergência dos solos da serra de Silves e de Monchique.

Veja Também

Fundação Calouste Gulbenkian aprova projeto de Participação Climática para Silves

A Fundação Calouste Gulbenkian aprovou 11 projetos de “Participação Climática” que irão ser desenvolvidos em …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *