Home / Vida / Saúde & Bem Estar / Saúde: reclamações dos utentes sobem no público e no privado

Saúde: reclamações dos utentes sobem no público e no privado

As queixas dos utentes aos serviços de Saúde aumentaram significativamente. Entre janeiro e setembro de 2018, chegaram ao Portal da Queixa – maior rede social de consumidores de Portugal – cerca de 2034 reclamações dirigidas ao setor da Saúde, verificando-se um aumento na ordem os 72%, comparativamente com o período homólogo.

mau serviço prestado – tanto nas unidades de saúde do serviço público, como no serviço privado – apresenta-se como o principal motivo de reclamação da maioria dos consumidores. Dentro do sector, os serviços de saúde mais reclamados são os organismos públicos: hospitais, maternidades e centros de saúde e, por fim, os grupos de saúde privados.

Reclamações de janeiro a finais de setembro
2017 2018 % variação
Hospitais e maternidades 356 572 61%
Centros de saúde 229 345 51%
Grupos de Saúde Privados 149 261 75%

 

Aumento de 61% do número de reclamações a hospitais e maternidades

Mau atendimento, ou falta dele, é o principal motivo das reclamações dos portugueses (130 queixas). Segundo a análise feita às reclamações recebidas pelo Portal da Queixa, ao invés de se depararem com um atendimento cuidado, atencioso e informado, os utentes são alvo de um mau atendimento e, por vezes, não obtêm qualquer tipo de resposta, esclarecimentos, nem sequer a prestação do serviço.

Mais de 100 reclamações dirigidas aos hospitais públicos e maternidades públicas do país, referem-se à falta de informação e esclarecimentos dados pelos serviços aos utentes, bem como a falta de condições e triagem mal feitaFalta de meios ou equipa técnica de saúde, negligência e o tempo de espera para remarcar uma consulta são, também, alguns dos motivos apresentados pelos utentes portugueses sobre os hospitais e maternidades.

Reclamações a hospitais e maternidades
Motivos 2018 % representa
Mau atendimento ou falta do mesmo 130 23%
Tempos de espera 122 21%
Falta de informação/esclarecimentos 105 18%
Falta de condições 63 11%
Triagem mal feita 57 10%
Falta de meios ou equipa técnica de saúde 44 8%
Negligência 28 5%
Remarcação consultas / espera marcação 23 4%

 

Centros de Saúde com um aumento de 51% do número de reclamações

Desde mau atendimento, falta de atendimento telefónico ou falta de médico de família, são vários os motivos que inquietam os consumidores nos centros de saúde por todo o país.

 

Reclamações a centros de saúde
Motivos 2018 % representa
Mau atendimento ou falta do mesmo 130 38%
Remarcação consultas / espera marcação 77 22%
Sem atendimento telefónico 38 11%
Falta de informação/esclarecimentos 36 10%
Sem médico de família 18 5%

 

 

Grupos de Saúde Privados não são exceção

Desde o início do ano, já chegaram ao Portal da Queixa mais de 200 reclamações dirigidas ao sector privado da Saúde.

Atualmente, muitos são os utentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS) que são atendidos em instituições privadas devido aos contratos de prestação de serviço com o Estado e com o aumento da oferta de planos de saúde. Estes motivos direcionam muitos doentes para estes locais, contudo não garantem um melhor serviço. Prova disso é o aumento na ordem dos 75% do número de reclamações dirigidas aos grupos de saúde privados, verifica o Portal da Queixa.

Reclamações a grupos de saúde privados
Motivos 2018 % representa
Mau atendimento 87 33%
Cobranças indevidas 56 21%
Remarcação consultas / espera marcação 43 16%
Tempos de espera 36 14%
Negligência 23 9%
Falta de informação/esclarecimentos 17 7%

 

 

 

 

Veja Também

4ª Edição de Quartel Electrão vai começar

A Amb3E – Associação Portuguesa de Gestão de Resíduos, gestora da Rede Electrão, lança a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *