Home / Vida / Pessoas / APAV assinala Dia Internacional da Pessoa Idosa lembrando que violência está a aumentar

APAV assinala Dia Internacional da Pessoa Idosa lembrando que violência está a aumentar

A APAV associa-se, uma vez mais, à iniciativa anual do Dia Internacional da Pessoa Idosa,  instituído em 1991 pela Organização das Nações Unidas (ONU), com o  objetivo de sensibilizar a sociedade para as questões do envelhecimento e para a necessidade de proteger e cuidar a população mais idosa.

Neste dia, a APAV divulgou o seguinte comunicado: «Infelizmente, nas sociedades contemporâneas, o envelhecimento está associado aos fenómenos do crime e da violência contra as pessoas idosas. O reconhecimento da vitimação dos mais velhos tem sido lento, mas é hoje um fenómeno cada vez mais evidente dentro do processo de envelhecimento populacional mundial. O envelhecimento, pode afirmar-se, é um dos maiores desafios do século XXI.

A violência contra as pessoas idosas constitui um problema social, de segurança e de saúde pública, e o seu combate eficaz pode contribuir para um futuro mais inclusivo, onde todos sejam respeitados ao longo do ciclo de vida, nomeadamente no contexto de um envelhecimento ativo e saudável.

A APAV apoia as pessoas idosas e as suas famílias, prestando-lhes apoio jurídico, psicológico e social, e conta com a colaboração de outras instituições, públicas e privadas. Contamos também com todos e todas: com vizinhos e vizinhas, com os conhecidos e as conhecidas das vítimas, cujo papel pode ser muito importante, sobretudo na denúncia das situações de violência.

Entre 2013 e 2017, os processos de pessoas idosas vítimas de crime e de violência aumentaram 22 %. Só em 2017, a APAV apoiou 944 pessoas idosas, o que equivale a uma média de 18 pessoas apoiadas por semana. Este aumento de casos, contudo, bem como os registados pelas estatísticas oficiais da Justiça, não reflete a realidade diária das vítimas – ainda mais trágica e silenciosa.

A consciencialização da população conduziu ao incremento do número de pessoas apoiadas, mas as barreiras mentais, a dificuldade de acesso e compreensão da informação, a dependência, a vergonha e a fragilidade persistem, aliadas à perceção pouco generalizado do problema, dificultando o alcance destes objetivos.

Os crimes de violência contra a população idosa não podem ser remetidos ao silêncio. Calar, fechar os olhos e tapar os ouvidos é ser cúmplice deste crime!»

A APAV está disponível para ajudar através de diferentes serviços, nomeadamente através da Linha de Apoio à Vítima 116 006 – dias úteis, das 9h às 21h -, o número gratuito e confidencial da APAV.

Veja Também

Cerca de 200 pais Natal desfilaram em Armação de Pêra

Cerca de 200 “pais Natal” participaram no 7º Passeio de Pais Natal que se realizou …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *