Home / Concelho / “O Bairro é Meu” – projeto para bairros de Silves já está em prática

“O Bairro é Meu” – projeto para bairros de Silves já está em prática

Foi inaugurado, no dia 30 de julho, e nesse mesmo dia abriu as suas portas, a sede do projeto “O Bairro é Meu”, localidade no Bairro D. Sancho I, mais conhecido como Caixa d’ Água, em Silves.
Antecedendo a cerimónia de inauguração foi feita uma apresentação do projeto “O Bairro é Meu” criado com o objetivo principal de apoiar a integração e valorização dos bairros Caixa d’ Água e SAAL, mas também “reforçar o sentimento de pertença” e “fortalecer o sentimento de orgulho” dos seus moradores, incentivados a ”cuidar daquilo que é seu”.

A ideia para este projeto – “O Bairro é Meu” – nasceu de uma forma espontânea, durante uma reunião de trabalho com a secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto, como explicou a presidente da Câmara Municipal de Silves, Rosa Palma. A partir daqui, foi uma “corrida” para apresentar uma candidatura ao programa Escolhas, promovido pela Presidência do Conselho de Ministros e integrado no Alto Comissariado para as Migrações, uma vez que a autarquia tinha apenas cerca de uma semana para o fazer. Com o empenho da equipa de técnicos da Câmara de Silves, nomeadamente do Sector de Educação, Desporto e Ação Social e de todos os parceiros envolvidos, foi possível levar a bom porto este processo que agora se desenvolve já no terreno.

O mural que simboliza o bairro Caixa d’Água

Além das intervenções já realizadas, nomeadamente a pintura do mural “Juntos”, do artista plástico Bamby, e a recuperação do polidesportivo, onde está instalada a sede do projeto e uma sala de ATL, está prevista a realização, numa primeira fase, de um parque infantil e de um espaço workout e a dinamização de eventos desportivos. Uma vertente muito importante deste trabalho é a promoção de cursos formativos com vista ao mercado de trabalho, sendo que o primeiro a realizar-se, um curso de auxiliar de geriatria tem já as inscrições abertas e a garantia de colocação profissional no final do curso.
Para a presidente da Câmara de Silves, o mais importante é que este projeto contribua para resolver alguns dos problemas sociais detetados neste bairro e que o mesmo “ganhe vida” com as ações planeadas mas, principalmente, com “o envolvimento das pessoas locais”.
“Juntos” – foi a palavra-chave da intervenção do vice-provedor da Santa Casa da Misericórdia de Silves, Luís Santos. O representante da entidade gestora do projeto, sublinhou que “em menos de três meses passamos do nada para hoje” e que “juntos conseguimos mostrar do que somos capazes”. Lembrou também os programas anteriores de intervenção nesta zona de Silves, como o Bairrismundo, afirmando que não é suficiente alterar o aspeto visual do bairro, mas que será necessário “melhorar as condições de vida” para mudar realmente as vidas dos habitantes do bairro, o que poderá ser concretizado com “o ambicioso plano de atividades” que as entidades têm programado.
Interveio em seguida a secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto, enquadrando este projeto no programa de celebração de Contratos Locais de Segurança que o Governo tem celebrado com vários municípios do país, entre os quais o de Silves. Um programa que tem como objetivo encontrar “respostas adequadas e integradas” no sentido de prevenir a delinquência juvenil, o absentismo, as desigualdades sociais e aumentar os níveis globais de segurança. O que passa, disse a secretária de Estado, pela “promoção das condições de vida das populações”.
Falando num “dia feliz para todos”, Isabel Oneto não deixou de salientar que o sucesso destes projetos e programas “depende do envolvimento de todos os parceiros”.

Rosa Palma, Isabel Oneto, Luís Santos e Micael

Seguiu-se o descerramento da placa comemorativa desta inauguração, um ato que, simbolicamente contou com a participação de Micael, um jovem do bairro. As entidades e convidados visitaram depois as salas recuperadas no polidesportivo, onde se encontram os serviços do projeto “O Bairro é Meu”, e uma sala de atividades para crianças. Serviços que abriram as suas portas em simultâneo com a inauguração, graças à colocação de três estagiários.

A sala para as crianças

 

 

Sobre o projeto “O Bairro é Meu”

«O Bairro da Caixa D’Água surgiu nos anos 70 para realojar os portugueses vindos das ex-colónias e, aos poucos, foi-se tornando um Bairro Social que se albergava famílias com menores recursos económicos, consequentemente, com menores possibilidades de aquisição ou arrendamento de habitação própria. Estas habitações foram propriedade do IGAPHE até 2003, altura em que foi realizada a transferência patrimonial para a Câmara Municipal de Silves.

Por sua vez, o Bairro SAAL de Silves, também designado Bairro do Progresso, resultou do programa de apoio à habitação, criado após o 25 de Abril de 1974. Objeto de autoconstrução dos moradores, este bairro apenas viu a sua situação regularizada em 2011, data em que os moradores passaram a ser proprietários das casas que haviam construído e pago. De facto, apenas em 2005, é que o Município reuniu as condições legais (expropriação, registo, operação de loteamento e constituição de propriedade horizontal) para conseguir regularizar todo o bairro.

Esta marca de “bairros sociais” promoveu nos seus moradores uma imagem de uma certa marginalização, que se pretende reverter com a implementação deste projeto. A promoção do sucesso educativo das crianças e jovens ali residentes e a participação cívica e responsabilização comunitária é um dos objetivos a promover, procurando-se desse modo, o “empowerment” de todos, tornando-os agentes de mudança do seu próprio processo de autonomização.

O projeto, que agora está a iniciar-se, pretende a valorização do espaço e das pessoas, sempre trabalhando para promover o combate ao insucesso escolar, o combate à info-exclusão, o acesso ao emprego e de desenvolvimento de competências e saberes que constituam vantagens para a integração social e profissional.»

Consórcio das entidades:
• Município de Silves/Câmara Municipal de Silves – entidade promotora;
• Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Silves – entidade gestora;
• Comissão de Proteção e Crianças e Jovens de Silves;
• Junta de Freguesia de Silves;
• Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Silves;
• Instituto Religioso do Sagrado Coração de Maria – Silves;
• Agrupamento de Escolas de Silves;
• Instituto de Emprego e Formação Profissional – Pólo de Formação de Silves;

Entidades Parceiras:
• Centro de Saúde de Silves;
• Amigos dos Pequeninos de Silves – IPSS;
• Silves Futebol Clube;
• Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Silves;
• Delegação de Silves da Cruz Vermelha;
• Associação de Reformados e Pensionistas de Silves;
• Grupo Desportivo e Cultural do Enxerim;
• CAFAP – IPSS “Castelo dos Sonhos”
• Sociedade Filarmónica Silvense;
• Agrupamento 181 do CNE – Silves;
• Conferência de Santo Agostinho da Sociedade São Vicente de Paulo – Silves; »

Texto sobre o projeto e fotos da Câmara Municipal de Silves

Veja Também

Corte de trânsito em Armação de Pêra

A Câmara Municipal de Silves informa que “devido a trabalhos de uma obra particular relacionados …

Um Comentário

  1. Nós estávamos tão bem cem carimbos a marcar geto. A imitar o bairro do besouro mais perto o de olhão isto tem sido um bairro calmo e seguro não venham estragar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *