Home / Economia & Emprego / Economia / PCP questiona Governo sobre as ruturas no adutor Funcho-Alcantarilha

PCP questiona Governo sobre as ruturas no adutor Funcho-Alcantarilha

O adutor Funcho- Alcantarilha, que liga a Barragem do Funcho à Estação de Tratamento de Água (ETA) de Alcantarilha tem diversas ruturas, situação que se arrasta há anos, diz o PCP que a propósito questionou o Ministério do Ambiente.

A questão foi levantada após uma visita de uma delegação do PCP, integrando o deputado Paulo Sá, eleito pelo Algarve, ter visitado as estações de tratamento de água de Alcantarilha e de Tavira e de ter reunido com o Conselho de Administração da Águas do Algarve.
Nessa reunião, o PCP diz ter sido informada a delegação, que o “adutor Funcho-Alcantarilha, com 12 km de extensão, que liga a Barragem do Funcho à Estação de Tratamento de Água (ETA) de Alcantarilha, tem diversas ruturas. Numa delas, a perda contabilizada de água é de 6 milhões de metros cúbicos por ano, quase 10% do volume anual de água transportado por esse adutor. Noutras ruturas, as perdas não estão contabilizadas. Esta situação já se arrasta há vários anos, sem que a Agência Portuguesa do Ambiente, a quem compete a manutenção do adutor Funcho-Alcantarilha, faça as necessárias reparações”.

O PCP lembra ainda que a “Associação de Regantes e Beneficiários de Silves, Lagoa e Portimão solicitou à Agência Portuguesa do Ambiente, em outubro de 2014, autorização para efetuar a ligação do sistema de distribuição de água do Aproveitamento Hidroagrícola de Silves, Lagoa e Portimão ao adutor Funcho-Alcantarilha, sem que esta ligação tenha sido ainda autorizada. Desta forma, uma obra que custou 6,5 milhões de euros não está a ser utilizada, prejudicando centenas de agricultores”.
“Não deixa de ser estranho” –acrescenta o PCP – “que, por um lado, a Agência Portuguesa do Ambiente não realize com celeridade todas as diligências necessárias para concretizar a ligação do sistema de distribuição de água do Aproveitamento Hidroagrícola de Silves, Lagoa e Portimão ao adutor Funcho-Alcantarilha, privando de água centenas de explorações agrícolas, e, por outro lado, permita que se desperdicem 6 milhões de metros cúbicos de água por ano numa rutura desse mesmo adutor”.

Assim, o Grupo Parlamentar do PCP, por intermédio do deputado Paulo Sá, questionou o Ministro do Ambiente, dirigindo-lhe as seguintes perguntas:

1. Como justifica o Ministério do Ambiente que as ruturas no adutor Funcho-Alcantarilha, existentes há vários anos, não tenham ainda sido reparadas, desperdiçando por ano pelo menos 6 milhões de metros cúbicos de água?
2. Quando serão realizadas as obras de reparação do adutor Funcho-Alcantarilha?
3. Qual o ponto de situação relativamente à ligação do sistema de distribuição de água do Aproveitamento Hidroagrícola de Silves, Lagoa e Portimão ao adutor Funcho-Alcantarilha?
4. Quando prevê o Ministério do Ambiente que essa ligação seja concretizada?

Veja Também

Universidade do Algarve entre as melhores do mundo em Tourism Management

São vários os atrativos que colocaram Portugal no mapa dos melhores destinos do mundo. Mas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *