Home / Opinião / Projetos para a cidade de Silves

Projetos para a cidade de Silves

Obras públicas sem projetos técnicos não se fazem. A contratação externa da elaboração de projetos na administração pública obriga ao cumprimento de conjunto alargado de regras e procedimentos no âmbito do Código dos Contratos Públicos que, no seu conjunto, exigem, naturalmente, tempos precisos e determinados, que precedem o lançamento de outros concursos para o lançamento das empreitadas. Há ainda que garantir os financiamentos para que os projetos saiam do papel.
Concentrando o foco nos projetos que o Município de Silves prepara para a sede do concelho, é visível a presença de veia condutora, visão integrada e estratégica na sua seleção.

No quadro do Plano de Ação de Regeneração Urbana da Cidade de Silves (PARU), candidatura aprovada pelo CRESC Algarve 2020, constituído por 7 operações, no valor global de 1,5 milhão de euros (investimento público), que alavancará investimento privado na ordem dos 4,5 milhões de euros, os objetivos são claros e os impactos positivos – na revitalização e requalificação territorial, e no incentivo à dinâmica económica.
As intervenções planeadas abrangem o edificado, particularmente, no centro histórico e na zona ribeirinha, como noutras zonas da cidade. Na área do investimento privado cujo enfoque se centra na reabilitação urbana e criação de negócios, encontram-se à disposição, apoios de natureza financeira, fiscal, técnica e outros.

Dos investimentos públicos programados, sobressaem a Requalificação do Jardim do Largo da República, a Requalificação do Bairro do Progresso, a Beneficiação da Frente de Rio (Muro de Proteção e Rampa de Acesso), bem como um conjunto de atividades, que integram a promoção da futura “Casa dos Vinhos” (em fase de projeto), a animação das ruas da baixa comercial, a dinamização da marca “Silves” (v.g. a valorização do produto laranja e dos vinhos de Silves) e a promoção da Feira Medieval.
No Jardim do Largo da República projeta-se a requalificação do espaço numa perspetiva paisagística e funcional, adotando-se a linguagem moderna, numa relação de equilíbrio com a sua identidade e memória coletiva, assegurando a renovação das infraestruturas, como também a construção de cafetaria, na perspetiva da dinamização da atividade económica e vivificação do local.

Numa segunda prioridade do PARU, assinala-se o ambicioso projeto de Reabilitação da Rua Atrás dos Muros, a norte do Castelo, constituído pelo alargamento e repavimentação do eixo viário, a inclusão de ciclovia e passeios, zonas de estadia, iluminação pública, infraestruturas subterrâneas, que em momento posterior, permitirá a ligação ao arruamento localizado a norte da Escola Secundária que também se encontra em fase de elaboração do projeto técnico.

Na filosofia subjacente aos projetos referidos e a outros não elencados. (v.g. a Requalificação do Mercado Municipal e a Conservação e Restauro da Ponte Velha), encontra-se presente a abordagem integrada, tendente à regeneração e revitalização urbana, em conjunto com o reforço da competitividade e atratividade da cidade de Silves, consubstanciada no fim último de melhorar as condições para o funcionamento da economia local, o aparecimento de novas atividades e negócios, a reocupação dos imóveis, a permanência dos visitantes/turistas por tempo mais prolongado e a fixação de nova população.

Dito de outro modo: pretende-se uma cidade mais apelativa, uma cidade melhor para viver e trabalhar.

Os projetos do Município de Silves consagram a ideia de cidade polinuclear com espaços e funções diferenciadas, sob o pano de fundo da salvaguarda, preservação e valorização do rico património histórico-cultural da cidade – uma espécie de galinha dos ovos de oiro, com necessidade de alimento permanente – que a identificam e a distinguem das demais, que a par do adiado projeto de Desassoreamento e Revitalização das Margens do Rio Arade (responsabilidade do governo), representam um potencial de extraordinária valia para o seu desenvolvimento sustentado.

Veja Também

Algarve a ver passar comboios

Os comboios no Algarve, sobretudo no Barlavento, são transparentes. Não se veem. Raramente se ouvem. …

2 Comentários

  1. Gostava saber se os trabalhos para abastecimento da agua rede publica Para o Odelouca vao começar em que data Muito obrigado por uma resposta.

    • Francisco Martins

      A empreitada do abastecimento de água ao Odelouca tem a consignação marcada para dia 19 de Junho do corrente.
      (a CMSilves, a empresa contratada para a fiscalização da obra e o empreiteiro, têm vindo a preparar no terreno o início da empreitada)

      A partir da consignação, o empreiteiro inicia a execução da obra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *