Home / Sociedade / Ambiente & Ciência / 15 novas crias de lince ibérico nasceram em Silves

15 novas crias de lince ibérico nasceram em Silves

No Centro Nacional de Reprodução de Lince Ibérico (CNRLI) de Silves, a época de partos tem sido intensa e existem agora 15 novas crias.
As novas crias são filhas de Biznaga, Era, Jabaluna, Fresa e Flora, estando ainda por confirmar a gravidez de Juromenha – a última potencial gestante em 2017 no CNRLI – como resultado da primeira tentativa de inseminação artificial realizada nesta espécie.

A fêmea Era, com as suas crias. (Foto ICNF)

Em comunicado, o ICNF descreve ao pormenor os nascimentos em Silves:

Biznaga – 28 de fevereiro
Do parto resultaram 3 crias, cujo pai é Drago.
As crias de Biznaga e Drago começam já a sair da caixa ninho, aos 30 dias de idade, e prosseguem o seu desenvolvimento normal.

Era- 17 de março
Do parto resultaram 2 crias, filhas de Fado. A Era deverá ter parido entre as 8h e as 14h no meio de arbustos no seu cercado, pelo que não foi possível observar o parto nem o número de crias resultantes nessa data. Foi sendo observado comportamento maternal típico, até que a Era transportou duas crias para dentro de uma caixa ninho no dia 24/03, sendo então possível confirmar o primeiro parto normal, com êxito, da Era nos seus 9 anos de existência.

Apesar do historial desta fêmea – 9 anos de idade e apenas um parto normal com uma cria que não sobreviveu mais de 2 dias em 2016; e um parto anormal em que perdeu 2 crias em 2015 – parece demonstrar instinto maternal apurado, e as crias seguem o seu desenvolvimento normal.

Era é uma fêmea fundadora proveniente da população da Serra de Andújar com enormes problemas de adaptação ao cativeiro, que está a ser medicada há 6 anos no CNRLI. Esses problemas de adaptação terão condicionado o seu bem-estar, ansiedade e agressividade, e reprodução. Com o intuito de obter representação sua para o Programa Ex Situ do Lince Ibérico, e contribuição para os esforços de reintrodução coordenados pelo Programa LIFE+ Iberlince, esta fêmea tem sido medicada e treinada em estreita colaboração com o Dr. Gonçalo da Graça Pereira, especialista em comportamento animal, e resultado devido à extrema dedicação dos tratadores e vigilantes que se encargam da Era diariamente.

Jabaluna – 25 de março
Do parto resultaram 3 crias, filhas de Jerte.
Jabaluna pariu 3 crias com aspeto e vitalidade normais, naquele que foi o seu primeiro parto, à segunda tentativa (o ano passado não ficou gestante). Tem as crias na sua caixa ninho de campeio, e estas seguem o seu comportamento normal.
Jabaluna tem 5 anos, nasceu em El Acebuche, e é filha de dois fundadores, Boj e Damán II, macho fundador também do CNRLI e mais tarde enviado para El Acebuche.

Para fêmea inexperiente, comporta-se como esperado e manifesta comportamento maternal normal, apesar de algumas hesitações previsíveis. Jerte chegou no final de 2016 ao CNRLI proveniente de Zarza de Granadilla, onde nasceu, tendo sido pai da sua primeira ninhada em Portugal e segunda no Programa Ex Situ.

Fresa – 26 de março
Do parto resultaram 4 crias, filhas de Hermes.
Fresa teve o seu parto a 26/03, entre as 20:46 e as 23:05, na caixa ninho da sua instalação, fruto do seu emparelhamento com Hermes, animal vindo de La Olivilla no final de 2016.
Fresa já pariu 15 crias no CNRLI – 7 foram reintroduzidas, 2 são epiléticas, 2 nasceram mortos, e estas 4. É a segunda ninhada de 4 crias da Fresa. Esta foi a primeira ninhada de Hermes no CNRLI. Seguem o seu desenvolvimento aparentemente normal.

Flora – 28 de março
Do parto resultaram 3 crias, com Madagáscar.
Flora terá parido durante o dia 28/03 num ninho no meio da vegetação no fundo da sua instalação, que partilha com o macho Madagáscar. O parto foi confirmado apenas dia 29/03 quando Flora moveu 3 crias do seu ninho para outro ninho na vegetação relativamente perto de onde estava originalmente. Podemos observar 3 crias bem, e o Madagáscar parece visitar mãe e crias por volta do meio-dia de dia 29/03. Ambos os progenitores parecem lidar bem com a circunstância de terem uma ninhada na mesma instalação partilhada, o que é novidade absoluta no CNRLI, mas já foi experimentado com êxito por El Acebuche em 2016.
Será curioso de observar, por primeira vez, o papel do macho no crescimento e desenvolvimento das crias.
Com estas 3 novas crias, a Flora já pariu 11 crias no CNRLI, tendo uma morrido no pós-parto, e 7 sido reintroduzidas ao abrigo do Programa LIFE+ Iberlince na Península Ibérica.

Madagáscar, macho de 2 anos, é um macho fundador proveniente da população do Parque Nacional de Doñana, tendo passado por El Aebuche, e geneticamente muito importante para a manutenção da diversidade genética da espécie para o futuro. Foi pai da sua primeira ninhada no Programa Ex Situ do Lince Ibérico.

Videos: https://we.tl/YVz7Y9411I

 

 

Veja Também

Exposição Fotográfica “Refugiados” em Silves

A Exposição fotográfica “Refugiados” do fotógrafo Frank Kopperschläger está patente ao público nos Paços do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *