Home / Sociedade / Entrevista / Entrevista a José Pedro Soares, presidente da Comissão Política do PSD/Silves

Entrevista a José Pedro Soares, presidente da Comissão Política do PSD/Silves

“O PSD vai estar mais próximo e criar um programa eleitoral mais real”

A um ano das novas eleições autárquicas de que maneira o PSD/Silves se prepara para a batalha da reconquista do poder autárquico em Silves? E que balanço faz da gestão do atual executivo?

José Pedro Soares
José Pedro Soares

Dois temas centrais que estiveram na base da entrevista a José Pedro Soares, 40 anos, gestor, licenciado em Gestão e Marketing, que, desde o início do ano, é o presidente da Comissão Política da Secção do PSD em Silves.

(Nota prévia: No final de setembro, o Terra Ruiva contactou com José Pedro Soares para entrevistá-lo para a edição de outubro. A entrevista foi realizada, mas um defeito na gravação do ficheiro tornou inacessível a maior parte da mesma. Não sendo possível repeti-la ainda a tempo de sair em outubro, foi combinado com José Pedro Soares que a mesma seria feita de novo, para a edição de novembro, ao que o mesmo concordou amavelmente. No entanto, devido a dificuldades de conciliação de agenda e outras situações inesperadas, não foi possível realizar a entrevista presencialmente. Assim, as questões foram enviadas ao entrevistado que respondeu por email, apesar de se encontrar doente. A José Pedro Soares, o nosso agradecimento redobrado por toda a colaboração prestada.)

 

Estamos a um ano das eleições autárquicas. Que balanço faz do trabalho destes três anos do atual executivo, enquanto líder da Concelhia do PSD /Silves?

Num contexto geral, foi um mandato amorfo, desprovido de liderança,

sem presença nos diversos fóruns, a exemplo disso, a constante falta de presença do executivo em atos ou reuniões onde é imperioso marca presença!

Uma das críticas que o PSD tem feito ao atual executivo, é a de “falta de estratégia”. Pode concretizar?
Vejamos, o que tem sido feito para captar investimentos turísticos, logísticos ou do sector da transformação? O que tem sido feito para dinamizar o comércio, agricultura (quanto a esta matéria, não fazer anúncios show off apenas com um anúncio de tentativa registo de uma marca). Que incremento tem sido dado à Zona Industrial do Algoz? Após a implementação da Elis e Jerónimo Martins, já deveriam ter aparecido novos investimentos, pois estavam criadas todas as condições para tal facto.
Por outro lado, o atraso do PDM tem contribuído para a não dinamização de todos os sectores, em especial o do turismo. Será que têm de solicitar o parecer do Comité Central situado na Rua Soeiro Pereira Gomes, 3 em Lisboa!
Foram feitas muitas críticas ao empréstimo que a CMS fez de quatro milhões, para várias obras no concelho. Os vereadores do PSD votaram contra e na Assembleia Municipal também. O que contestam?
O empréstimo foi aprovado na CMS, só com os votos do PCP, sendo que as restantes forças partidárias contestaram a forma como o processo decorreu. Na Assembleia Municipal não houve votos contra.
Nós somos totalmente favoráveis à execução das obras, no entanto, deveriam ter sido elaborados projetos, aprovados e só depois, caso a Câmara não tivesse capacidade financeira para efetuar as respetivas obras, aí sim, deveria ser efetuado o pedido de empréstimo. Relembro, que o PCP foi sempre contra a metodologia que agora implementou.
O anterior executivo deixou uma situação financeira saudável de forma que se veio a refletir nos anos seguintes com a transferência de saldos na conta de gerência, superiores a três milhões de euros.
Na Assembleia Municipal, os presidentes das Juntas eleitos pelo PSD votaram a favor desse empréstimo. Como interpreta esse voto?
Os Presidentes de Junta do PSD viram parte das suas reivindicações plasmadas no plano de investimentos, o que não poderiam votar contra. É recorrente haver este tipo de comportamentos!
Na lista de obras que irão ser feitas com esse dinheiro, está a construção da Junta de Freguesia de Armação de Pêra. Acha irónico que seja a CDU a arrancar com essa obra, depois de tantos anos do PSD na Câmara e na Junta de Armação?
Não querendo ser fastidioso em fazer uma elencagem das obras efetuadas nessa freguesia pelo anterior executivo, relembro que já estava efetuado um projeto, e mais digno, para a Sede da Junta de Armação de Pêra, no espaço do antigo mercado. Projeto esse que era mais dignificante e iria de encontro às vontades da população, e por outro lado não inviabilizava a prática de atividades educacionais no espaço aonde o partido comunista tem previsto!
Uma das criticas que se ouviu é que são “obras avulsas” , que “nada resolvem”. Se o PSD estivesse na Câmara e tivesse quatro milhões de euros, quais seriam as suas obras prioritárias?
Não é o PSD que está a gerir o Município! O PSD teria estratégia de desenvolvimento equilibrada e sustentável!

O PSD tem sido muito crítico para a CDU, mas esta culpa muitas vezes a “herança” que herdou do PSD. Lembro, por exemplo, a questão do lixo, que a presidente da Câmara, na entrevista que deu ao Terra Ruiva no princípio do mandato, o facto de não haver viaturas para a recolha. Ou a questão de no anterior quadro comunitário a Câmara de Silves ter sido a única no Algarve a não apresentar nenhuma candidatura para construção de escolas, ou de estradas (rurais com ligação a estradas principais), nem para o saneamento ou abastecimento de água. Como é que isso se pode justificar?
Em primeiro lugar, gostaria de dizer, que quem passa a vida no passado não vê o futuro! O que temos que avaliar é este executivo e não outros! Mas, ainda assim, relembro que os executivos PSD, foi quem mais escolas construiu, estendeu mais de 250km de condutas de água e saneamento, requalificação e novas estradas equivalente a 60 milhões de euros, reabilitação de vilas e aldeias, entre muitos outros investimentos necessários.

O que fez este executivo PCP? Nada!

Voltando ao lixo, a atual Presidente Comunista fez bandeira da limpeza urbana e da recolha de lixo, que melhorias teve?!…Compraram 2 novas viaturas (com recurso a crédito desnecessariamente, obrigando a Câmara a pagar juros), mas o lixo continua a amontar-se junto aos contentores, e reduziu o reforço de Verão em Armação de Pêra, originando cheiros e vistas muito desagradáveis aos que nos visitam, tendo sido, a Junta de Freguesia com muito esforço a minimizar os impactos negativos.
No Sector da Água, onde a Câmara, nos últimos anos do PSD não fez investimentos, foi porque a Câmara estava a preparar a privatização do sector? O Terra Ruiva fez uma notícia a dizer isso e a Câmara nunca desmentiu.
Quanto aos investimentos já os mencionei na sua questão anterior, os executivos PSD levaram água a muitas casas, e três anos não bastava para este executivo fazer algo? Quanto se haveria a privatização do sector, e se foi você que disse, questiono-a a si? Da parte do PSD nunca houve essa intenção, ou se quer que tenha sido matéria de discussão interna.
O último mandato do PSD ficou marcado pelos cortes às freguesias, Messines, Silves e S Marcos da Serra tiveram cortes de 50%, as coletividades em 2012 e 2013 não receberam subsídios, foram cortados os autocarros para as escolas, houve ordenados em atraso nas juntas- e tudo isso foi atribuído à lei dos compromissos, mas essa lei ainda se encontra em vigor e estas situações não acontecem agora – o que se passou? Havia um deixar andar, como dizia a oposição?
Como bem sabe, o ano de 2012 e 2013, foram anos muitos especiais para quem geriu os Municípios nesse tempo, com a chegada da Troika em 2011, fruto de uma gestão ruinosa do PS. O Governo implementou a meio do ano de 2012, a Lei do Compromisso, que significou uma alteração brusca na forma de gerir a tesouraria e os orçamentos, dai na altura os cortes foram necessários, não foi por questões políticas, até porque as associações nos merecem o maior respeito!

A questão que impera hoje, é se o atual executivo tem apoiado devidamente as nossas instituições e associações? Diria que tem feito muito pouco!

Outra herança que a CDU diz ter herdado do PSD é a degradação do património, o mau estado das muralhas, as obras do castelo não concluídas, a ponte velha à beira do colapso, e isso era conhecido desde 2008.
O que o atual executivo faz, é isso mesmo, tenta impor ao passado o seu presente. Este executivo, como não tem capacidade para desenvolver o Concelho, então passa todo o tempo a culpar o passado! Mas será que este executivo não sabe que a manutenção do património é um investimento corrente e que tem sempre que ser contemplado no orçamento. Ainda assim, o processo da Ponte Velha inicia-se pelo anterior executivo, pedindo ao LNEC um estudo sobre a estabilidade, e na altura a ponte não estava em risco, mas determinava algumas necessidades de trabalhos, como retirar a conduta da água. Mas o que fez este executivo em 3 anos, colocou uma rede para interditar a ponte. Ainda assim, o Castelo teve obras de requalificação, quer no interior quer no exterior, no âmbito do programa Polis, mas poderia elencar muito mais património requalificado ou construído, como o Teatro Gregório Mascarenhas ou Museu do Traje em Messines!

Em fevereiro de 2016, a Comissão Politica Distrital do PSD esteve em Silves e deixou um documento onde elencou uma série de problemas “ que afligem em particular os silvenses: desassoreamento do Rio arade, obras de requalificação EN 124 – Troço Silves, Porto Lagos, agravamento das condições do centro de saúde e extensões “. Reparei que todas estas obras são da responsabilidade do Governo, que até muito recentemente era formado pelo PSD/CDS. A única obra que constava nessa lista da responsabilidade da Câmara era o “adiamento do PDM”. Acha que o desassoreamento do Rio Arade é o problema que mais aflige os silvenses?
Não é o que mais aflige, é dos que mais aflige, porque o seu desassoreamento levaria ao incremento da atividades marítimo-turísticas e uma maior vida da cidade, com consequências positivas para atividades económica em Silves! Assim como, a requalificação da EN 124, que se encontra num estado lastimoso, que não ajuda em nada atividade turística, mas o que fez o executivo? Colocou uma faixa com o logo do partido a exigir a sua reabilitação!
O desassoreamento do Rio Arade esteve em PIDAC, nos anos 2002 e 2003, a estrada EN 124, houve por parte do Governo um compromisso de incluir no orçamento da requalificação da EN125. Infelizmente até à data, nada se verificou.

O PDM, talvez o espelho da incompetência deste executivo, pois tinha o plano todo feito 6 meses antes da eleições autárquicas,

mas por respeito, na altura, os partidos políticos entenderam que seria aprovado logo a seguir ao novo executivo assumir funções, passaram 3 anos, e o que fez o executivo? Destruiu uma das melhores equipas nacionais na matéria (SIG), composta por excelentes técnicos do município, reconhecida por muitas entidades públicas e privadas, para dar a uma empresa privada. O Plano Diretor Municipal (PDM) é uma das principais ferramentas de trabalho para um executivo desenvolver e promover o investimento privado, gerando mais desenvolvimento económico, criando mais postos de trabalho e gerando um aumento de receitas para o município, de forma a capacita-lo para novos investimentos. Por esta via, talvez o executivo deixasse de ser Lamechas!
Na reunião da Assembleia Municipal foi dito publicamente que o PDM de Silves tinha sido suspenso por terem sido encontradas várias ilegalidades, cerca de uma centena de imóveis construídos com licenças ilegais, e que o projeto do novo PDM já não se encontrava em concordância com as novas legislações… O que pensa destes argumentos da CDU?
Desconheço essas ilegalidades, acredito que possa haver algumas construções que não estejam licenciadas, mas o executivo já teve tempo suficiente para fazer todos os ajustes necessários com vista à sua aprovação!

Falando em ilegalidade, nunca se percebeu muito bem o que pensa o PSD Silves sobre o “caso Viga d’ Ouro”, que resultou em mais de cinco milhões de prejuízo para a Câmara, mais um milhão de euros em pagamento aos advogados da PLMJ, mais os juros de mora que a Câmara teve de pagar aos bancos… Condena o que se passou?
Gostava de dar a nota que os 5 milhões não são de prejuízo, mas sim de obras nas redes de águas e saneamento básico. No entanto, as ilegalidades e/ou irregularidades foram por questões processuais. É de referir que na altura em que o executivo detetou as referidas anormalias, deu conhecimento a todas as entidades com competência na matéria. Quanto à contratação do gabinete de advogados, foi uma contratação recorrente de forma a garantir e salvaguardar os interesses do município.
No Caso Viga d’ Ouro, houve a intervenção do Ministério Público mas o caso acabou por prescrever, foi arquivado, não houve culpados nem inocentes. Há quem diga que isso é muito injusto, quer para os inocentes, quer para os culpados… O que acha disso?
Não comento atividade das entidades judiciais!
Sendo um assunto delicado, como é que o PSD Silves vê a tomada de posição do Tribunal de Contas que pretende que Isabel Soares e Rogério Pinto venham a ressarcir a Câmara em mais de 600 mil euros?
Essa é uma matéria que cabe hoje ao foro privado dos visados!

O PSD tem como vereadores na Câmara, o ex-presidente Rogério Pinto, que perdeu as últimas eleições, e a vereadora Graça Neto, pouco conhecida no concelho. Não haverá uma renovação na vereação?
Se tudo correr como previsto, não haverá mudanças até ao ato eleitoral!
Nesta altura há alguns nomes para candidatos a presidência da CMS que tomam mais forma: Ricardo Pinto ( atual presidente da Junta de Freguesia de Armação de Pêra), Tiago Leal ( atual presidente do Silves Futebol Clube). O que pode dizer?
São pessoas extremamente válidas, com provas dadas, que o partido valoriza e aprecia ter no seu quadro de possibilidades, desde que, o partido o deseje e não menos importante, que os próprios o queiram!
Ou vai ser o próprio José Pedro Soares? Este ano, quando em março assumiu a Concelhia do PSD em Silves, muitos viram isso como um sinal de que ia tomar as rédeas do processo para avançar.
Quando assumi a Concelhia não estava em causa quem seria o candidato à Câmara, até porque existe mais atividade para além desse aspeto, até se assim fosse já teria sido candidato nas últimas eleições autárquicas. O que lhe posso dizer é o que processo irá iniciar-se em breve, dentro do processo determinado pelo PSD Nacional!

Qual vai ser a estratégia do PSD Silves para o próximo ano?
O PSD vai estar mais próximo das instituições, vai andar na rua a falar com as pessoas, auscultando as suas necessidade e anseios, para criar um programa eleitoral mais real e mais próximo das cidadãs e cidadãos do município.
O que gostava de ver no concelho/ absolutamente prioritário que não está feito?
No momento certo o PSD apresentará as suas propostas!
Que mensagem gostava de deixar aos eleitores e não eleitores do PSD do nosso concelho?

O nosso Concelho tem um enorme potencial, por isso o PSD está atento a todas as necessidades e anseios,

desde os mais jovens aos menos jovens, para garantir “Um Futuro Melhor!”

Veja Também

Deputados do PS em Silves

Um grupo de deputados do PS visitou Silves, no âmbito das Jornadas Parlamentares do Partido …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *