Home / Sociedade / Ambiente & Ciência / Mais de 2000 hectares arderam em Silves, na época de incêndios

Mais de 2000 hectares arderam em Silves, na época de incêndios

Um grande incêndio às portas de Silves, um outro junto a S. Marcos da Serra e um susto no parque de autocaravanas em Armação de Pêra marcaram aquela a que se dá o nome de “época crítica de incêndios”.
Esse período mais critico já terminou mas as altas temperaturas que se fazem ainda sentir fez com que a época de incêndios fosse prolongada até ao dia 15 de outubro.foto-aerea-incendio
Num verão excecionalmente quente, este ano ficou marcado por uma grande ocorrência de incêndios significativos que fizeram com que a área ardida fosse mais de três vezes superior à dos últimos anos.
No Algarve, o grande incêndio ocorrido em Monchique foi o mais significativo. Mas também no nosso concelho se registaram dois grandes incêndios.
O primeiro foi no dia 8 de agosto, num fogo que começou na Perna Seca, ainda na freguesia de S. Bartolomeu de Messines e progrediu pela freguesia de S. Marcos da Serra, levando à evacuação de pessoas e a momentos de grande tensão. Centenas de bombeiros e meios aéreos foram envolvidos no combate ao fogo. No final, foi possível salvar toda a gente e as habitações, mas para trás ficaram 1766 hectares de total destruição.
Também em Silves, foram vividos momentos de grande tensão e preocupação quando, na noite de 8 de setembro, o fogo rondou a cidade e vários locais próximos. O incêndio deflagrou cerca das 21h, no sítio do Almarjão e progrediu até à cidade.
Por volta da uma da manhã, chegou-se até a equacionar a possibilidade de evacuar o Estabelecimento Prisional de Silves, quando o fogo se aproximou muito perto dessa zona e do Bairro Caixa d’Água. Uma situação que fez lembrar a muitos silvenses os grandes fogos de 2003.
A área ardida neste fogo foi de 250 hectares.
No mesmo dia já tinha havido um fogo de menores dimensões no Caniné, e no dia anterior um outro em Odelouca. Estes fogos, deflagrados na mesma altura em que o grande incêndio de Monchique concentrava todos os esforços, obrigaram a uma dispersão de meios e levantaram muitas dúvidas quanto à sua origem.

Já em Armação de Pêra, no dia 28 de agosto, um fogo que começou numa autocaravana que se encontrava estacionada no parque de estacionamento junto à praia, lançou o pânico entre os muitos autocaravanistas que se encontravam no local. Mas os próprios conseguiram salvar as suas viaturas e o fogo apenas atingiu a autocaravana que lhe deu origem e uma zona de mato envolvente.
Nos relatórios provisórios que se encontram publicados dá-se conta que no Algarve se registaram neste verão 10 “grandes incêndios” ( com áreas ardidas superiores a 100 hectares), e 170 fogachos, que resultaram numa área ardida perto dos 6500 hectares. Números que irão aumentar quando se fizerem as contas totais.

Veja Também

Depois do inferno, a calma. Veremos se veio para ficar

Esta manhã, o ponto de situação feito pela 2ª comandante operacional da Autoridade Nacional da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *