Home / Concelho / Há censura em Armação de Pêra – Terra Ruiva censurado no grupo do Facebook “Armação de Pêra”

Há censura em Armação de Pêra – Terra Ruiva censurado no grupo do Facebook “Armação de Pêra”

O Terra Ruiva vem publicamente apresentar o seu mais vivo protesto contra o ato de censura de que foi alvo no grupo do Facebook “Armação de Pêra” e denunciar a atitude dos administradores deste grupo.

No dia 5 de julho, a diretora do Terra Ruiva, Paula Bravo, partilhou, no referido grupo, a notícia publicada no dia anterior no site do jornal, sobre a condenação feita pelo Tribunal de Contas, no âmbito do processo Viga d’ Ouro, aos ex-presidentes da Câmara Municipal de Silves, Isabel Soares e Rogério Pinto, autarca de Armação de Pêra.
Poucas horas depois, a diretora do Terra Ruiva, que era membro do grupo há alguns anos, sempre sem qualquer problema ou reparo por parte dos administradores ou outros membros do grupo, deixou de ter acesso ao mesmo. Apurou-se depois que estava “bloqueada”, sem possibilidade de publicar qualquer conteúdo ou de visualizar o que outras pessoas vão publicando.

Sendo que esta situação configura um ato de censura não só contra a diretora do jornal, mas também contra o próprio jornal, a diretora Paula Bravo enviou mensagens privadas às pessoas identificadas publicamente como administradores do referido grupo, apresentando o seu protesto contra esta medida e exigindo explicações.
Na sua página pessoal, a diretora divulgou também esta situação.

Uma das pessoas, identificadas na altura como administrador, respondeu de imediato, demarcando-se da situação e explicando que há um ano que não tinha qualquer responsabilidade como administrador.
Os restantes administradores, Bruno Miguel Alves e João Santos Pinto, não responderam nem a esta primeira mensagem, nem a uma segunda, enviada dias depois.

Face a esta situação, e tendo em conta que o conteúdo censurado não tem qualquer característica pessoal e trata-se exclusivamente da partilha de uma notícia divulgada pelo Terra Ruiva entende a direção do jornal que este não é mais do que um ato de censura praticado contra a liberdade de imprensa e liberdade de expressão, conceitos que não deixam de existir apenas porque as notícias são publicadas numa rede social.

Quiseram os administradores deste grupo evitar que a notícia em causa chegasse a um maior número de pessoas, muito especialmente à comunidade de Armação de Pêra, onde reside um dos autarcas visados pelo Tribunal de Contas e ainda em funções na Câmara Municipal de Silves.

Quiseram também, os referidos administradores, diminuir a esfera de influência do Terra Ruiva – Jornal do Concelho de Silves, que se constituiu há muito a mais importante fonte de informação no que respeita a este Concelho.

Para os que julgam que calando o mensageiro, podem calar a mensagem, lembramos apenas alguns factos:

– A notícia publicada pelo Terra Ruiva baseia-se integralmente num comunicado da Câmara Municipal de Silves o qual, por sua vez, se baseia no Relatório divulgado pelo Tribunal de Contas:
– A notícia publicada pelo Terra Ruiva termina com a inclusão do link onde os leitores poderão encontrar on-line o Relatório do Tribunal de Contas e por si só constatar a veracidade de todos os factos relatados na notícia:
– A divulgação dos factos apresentados pelo Tribunal de Contas e as sanções que quer aplicar aos ex-presidentes Isabel Soares e Rogério Pinto foram notícia em vários órgãos de comunicação social nacional e regional como o Correio da Manhã, Jornal de Negócios, Público, SulInformação…
– Ao não permitir que a diretora do Terra Ruiva partilhe neste grupo as notícias publicadas pelo jornal, os referidos administradores estão efetivamente a impedir que os membros do grupo tenham acesso às mesmas, condicionando assim o que os membros podem ou não podem ler.

É caso para perguntar: quem tem medo do Terra Ruiva?
O Terra Ruiva – Jornal do Concelho de Silves é um jornal que se empenha em cumprir a sua missão de divulgar os acontecimentos que dizem respeito ao concelho, seguindo uma linha editorial muito clara que se baseia no rigor informativo e na pluralidade de opiniões.

O Terra Ruiva, enquanto meio de comunicação social, não tem qualquer pretensão ou intenção de julgar ou de condenar quem quer que seja, pois que essa é a função dos tribunais. Mas não se irá abster de divulgar as informações que considera relevantes e de interesse público, apenas porque as mesmas são inconvenientes para algumas pessoas ou grupos.

O Terra Ruiva é um jornal que informa. E foi essa informação que foi censurada pelos administradores do grupo Armação de Pêra que nem uma palavra de justificação (?) foram capazes de apresentar para o seu ato que merece todo o nosso protesto e repúdio.

Fazemos votos para que saibam reconhecer que agiram em total desacordo quanto àqueles conceitos a que chamamos “democracia” e “liberdade de expressão” e que tenham a verticalidade suficiente para corrigir a situação.

A Direção do Terra Ruiva

 

 

Links relacionados:

– Notícia do Terra Ruiva: http://www.terraruiva.pt/2016/07/04/ex-presidentes-da-camara-isabel-soares-e-rogerio-pinto-condenados-pelo-tribunal-de-contas/

– Relatório consolidado final do Tribunal de Contas está disponível em: http://www.tcontas.pt/pt/actos/rel_vic/2016/vic-dgtc-rel004-2016-2s.shtm

– Link do grupo Armação de Pêra: https://www.facebook.com/groups/84415539659/permalink/10154312954644660/

PartilharShare on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Email this to someonePin on Pinterest0

Veja Também

Construção de novo arruamento no Algoz

Está a decorrer em curso a construção de um arruamento no troço entre a Junta …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *