Home / Vida / Saúde & Bem Estar / Dia Mundial da Hipertensão: problema afeta 1 em cada 3 portugueses

Dia Mundial da Hipertensão: problema afeta 1 em cada 3 portugueses

Hoje – dia 17 de maio – é Dia Mundial da Hipertensão, um problema que afeta muitos portugueses.

Em Portugal, cerca de três milhões de pessoas são hipertensas e a maioria não tem a tensão arterial controlada, uma situação que pode resultar em complicações graves como é o caso do acidente vascular cerebral ou do enfarte agudo do miocárdio.hipertensão-ED-1

 

 

 

 

 

 

 

 

As doenças cardiovasculares continuam a ser a principal causa de morte em Portugal e um dos principais fatores de risco destas doenças é, de facto, a hipertensão arterial. Por este motivo, é necessário reforçar junto da população a importância do controlo da tensão arterial como forma de prevenção destas doenças”, revela Severo Torres, coordenador da Unidade de Cardiologia do Hospital Lusíadas Porto.
E acrescenta: “O estilo de vida é determinante na subida dos valores da pressão arterial. Diminuir o consumo de sal e de álcool, não fumar, evitar alimentos salgados ou ricos em gorduras e açúcar e recorrer à prática regular de exercício físico, pelo menos três vezes por semana, podem ser excelentes aliados no controlo da hipertensão arterial, reduzindo o risco de complicações graves”.
Embora seja quase sempre assintomática, a hipertensão arterial pode, em alguns casos, manifestar-se através de sintomas como tonturas, visão turva, dores de cabeça, sonolência e falta de ar. A sua causa pode ser desconhecida, sendo classificada como primária ou essencial, ou pode surgir como consequência de, por exemplo, doença renal, perturbações hormonais ou utilização de determinados fármacos.
O diagnóstico precoce é fundamental até porque “a hipertensão poderá ser reversível se forem identificadas e corrigidas as causas desencadeantes e adotadas as medidas terapêuticas adequadas”, explica o cardiologista.
Se a doença não for tratada “a pressão arterial elevada pode causar alterações do ritmo do coração e da sua estrutura, contribuindo para o desenvolvimento, a longo prazo, de insuficiência cardíaca. Ao provocar lesões na parede das artérias, aumenta o risco de enfarte agudo do miocárdio e constitui o principal fator de risco para o acidente vascular cerebral”, conclui o especialista.

PartilharShare on Facebook1Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Email this to someonePin on Pinterest0

Veja Também

Inscrições abertas nos Bombeiros Voluntários de Silves

Os Bombeiros Voluntários de Silves têm abertas inscrições para Carreira de Oficial Bombeiro, Carreira de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *